John Carpenter é considerado um dos mestres do terror, não só por sua extensa filmografia dedicada ao gênero, mas também pelo trabalho de primor que apresentou ao mundo, em 1978, com ‘Halloween: A Noite do Terror’.

Ali, o jovem Michael Myers mata a irmã a facadas, no dia das bruxas, e é enviado a um hospital psiquiátrico. Quinze anos depois, ele consegue fugir e volta a atacar na pequena cidade de Haddonfield, Illinois. Ao total, o maníaco consegue tirar a vida de mais seis vitimas e quando é finalmente preso, apenas uma delas sobrevive para contar história: Laurie Strode (Jamie Lee Curtis). Contudo, anos e anos e anos se seguem e o assassino esteve sempre a espreita para fazer Laurie reviver o passado.

Seguindo estritamente a linha exposta em 1978, a franquia ‘Halloween’, iniciada por Carpenter e continuada por outros milhares de cineastas, entre eles, Rick Rosenthal, Tommy Lee Wallace, e Steve Miner, volta as telas em 2018. Coincidentemente, no seu aniversário de quarenta anos, e celebra o terror com muito vigor e excelência pelas mãos de David Gordon Green (Segurando As Pontas).

Sim, Curtis volta ao papel de Laurie, ao qual já esteve mais de três vezes, e nos entrega uma mulher extremamente preparada para defender a si e sua família do seu fiel e eterno perseguidor. As atrizes Judy Greer e Andi Matichak vivem a filha e a neta do personagem de curtis, respectivamente.

Trailer

Quatro décadas atrás, a jovem Laurie Strode era perseguida pelo ‘bicho papão’ Michael Myers e nem se dava conta. Este último, nunca teve feições expressivas, mas encontrou-se ao usar uma máscara assombrosa e sair por ai dando facadas em jovens nuas. Se outras vezes ele conseguiu fugir de prisões que detinham sua psicopatia, agora tenta mais uma vez e é bem sucedido.

A fuga, aliás, ocorre também no dia de Halloween logo após um casal de jornalistas ir visita-lo no hospício para saber mais de suas motivações e contar sua real historia. Mas ali não há nada, apenas o mal. E o protegido do doutor Sartain (Haluk Bilginer) só sabe fazer uma coisa: aterrorizar.

Laurie, por outro lado, agora vive cercada por proteções de segurança e está craque em tiro ao alvo. A agora senhora vive longe da família e é tida pela filha Karen(Greer) como maluca, depois da infância traumatizante em que teve que aprender a se defender. A neta Allyson (Matichak), contudo, quer ter Laurie por perto e, contrariando a mãe, não se cansa de convidá-la para os encontros de família.

O ator, produtor, diretor e roteirista Danny McBride se junta a David Gordon Green e dão continuidade a uma das tramas mais impactantes dos anos 70. Não só trazendo um climax especial ao trabalho de Carpenter como também escrevendo um roteiro que o homenageiam. A dupla avisa que o filme também insere referências a outros da franquia, porém, trabalham diretamente com a história de Laurie e Michael, desde o primeiro momento.

Revemos o assassino matar babás, namorados, policiais e quaisquer um que a sua frente e a de Laurie pairar. Ademais, explora-se aqui como a Laurie de sessenta anos já não e a menina boba que ficará escondida sem defesa dentro de um armário e está a ponto de bala para proteger sua família. E ela o faz lindamente através da ótima performance de Curtis.

Como era de se esperar, o seu perseguidor vira um mito para o seu médico, o Doutor Sartain - bem como fora para o velho e memorável Loomis dos outros filmes — e fica impossibilitado de ser tocado. Mesmo dando fim a vida de quase dezenove pessoas.

A forma do assassino mascarado é vivida aqui por James Jude Courtney e Nick Castle e continua horrorosa. Brilham na trama ao lado de Curtis, Greer e Matichak, e é provável que vejamos esse assassino no futuro sim. Pois por mais final de festa que este aqui tenha sido, seu retorno é sempre esperado.

A direção de Gordon Green foi eficaz em nos dar medinho e fazer pular da cadeira em diversos momentos (jumpscares maneiros). Também trouxe uma equipe de edição que contemplou muito o design da primeira película da franquia e usou e abusou da trilha sonora original. Só que aqui do jeito certo.

Desta forma, quando Halloween chega aos seus créditos finais, é possível que seu sorriso esteja pronto para aparecer e seu coração cinéfilo esteja aliviado.

Ficha Técnica.

Título original e ano: Halloween, 2018. Direção: David Gordon Green. Roteiro: David Gordon Green, Danny McBride e Jeffrey Fradley— baseado nos personagens criados por John Carpenter e Debra Hill. Elenco: Jamie Lee Curtis, Judy Greer, Haluk Bilginer, Will Patton, Rhian Rees, Jefferson Hall, James Jude Courtney, Nick Castle, Virginia Gardner, Mile Robbins e Andi Matichak. Gênero: Terror, suspense. Fotografia: Michael Simmonds. Edição: Thimothy Alverson. Figurino: Emily Gunshor. Distribuidora: Universal Pictures do Brasil. Nacionalidade: Eua. Trilha Sonora: Cody Carpenter, John Carpenter e Daniel A. Davies. Duração: 01h49min.

Melhor programa para comemorar ‘o dia do saci’.

Avaliação: Três facadas e setenta e cinco bolsas de sangue (3,75/5).

See Ya!

B-

Filmes, séries, música, livros e blá blá blá… 📺📚🎬🎧🍏 www.wannabenerd.com.br

Filmes, séries, música, livros e blá blá blá… 📺📚🎬🎧🍏 www.wannabenerd.com.br